REPÚBLICA 37

Residencial

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: REPÚBLICA 37
Localização: Av. República nº37 e Av.Miguel Bombarda nº 14 , Avenidas Novas, 1050-087 Lisboa , Portugal
Promotor/dono de obra: EMGI - Investement Group
Arquiteto: FVA - Frederico Valsassina Arquitectos
Construtor: UDRA
Data do fim de construção: 26/05/2017

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: EMGI - Investement Group, unipessoal lda
Morada: Rua de São Domingos à Lapa,20,22,24 e 26 , 1200-836 Lisboa, Portugal
Localidade: Lisboa
Código Postal: 1200-836 Lisboa
Telefone: 213901059
Site: http://republica37.com/pt/apresentacao.html
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

Memória Descritiva Ao representar um dos registos relevantes das Avenidas Novas, julgou-se de maior importância dar continuidade à lógica do quarteirão. Conceitos como escala, compressão, abstração, enquanto definidores de uma massa edificada compacta, tornam-se, então, fundamentais para o diálogo positivo entre passado e presente. O projeto visou a recuperação integral do edifício de gaveto, existindo apenas a transformação tipológica dos pisos no seu interior, aliando a imagem da preexistência à contemporaneidade da intervenção. O estado degradado do edifício obrigou ao reforço da sua estrutura e à introdução de elementos corta-fogo entre pisos, sem pôr em causa a sua morfologia. No que se refere às fachadas, beneficiaram-se os acabamentos já existentes preservando o seu aspeto original. O piso térreo permanece intacto e a cobertura, embora mantenha as quatro águas originais, foi repensada em termos de materialidade, de modo a garantir a estanquicidade do interior, preservando assim a herança formal do edificado. Construiu-se um novo volume no espaço intersticial entre os edifícios, que procura tirar partido das marquises de ferro. A ligação entre o edifício recuperado e a ampliação é concretizada por um corpo que aglutina as comunicações horizontais entre ambos os lados da intervenção. Pretendeu-se que a imagem deste novo volume fosse depurada de registos, de forma a evidenciar o confronto entre as frentes edificadas, sendo que, as tensões sugeridas pela proximidade entre os dois corpos, bem como o vazado contemplado ao nível do embasamento, canalizam o olhar para o logradouro ajardinado e para o céu descoberto. Relativamente à materialidade, o edifício antigo foi recuperado com acabamentos em reboco pintado à cor do existente, através da limpeza das cantarias, da pintura dos ferros à cor cinza, e da pintura das carpintarias de branco. O novo volume apostou no recurso ao alumínio como ponte de ligação entre os dois tempos de intervenção.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

Motivação e Mérito da Candidatura O República 37 é um projecto de reabilitação de um edifício que constitui um dos registos mais relevantes das Avenidas Novas, tendo-lhe sido acrescentado um novo volume. Situado no gaveto entre a Av. da República e a Av. Miguel Bombarda, num dos mais nobres bairros da cidade, o projecto conta com 4.926,90m2 acima do solo e 1.871,65 m2 abaixo do solo. A intervenção resultou em 27 apartamentos e 4 lojas, com tipologias que variam do T1 ao T3, e contempla um total de 32 lugares de estacionamento. De modo a assegurar a preservação da imagem do edificado existente insistiu-se na recuperação das fachadas originais e dos seus interiores. Sobressaem os pavimentos em madeira que foram mantidos e recuperados na integra, bem como os tectos ora pintados, ora trabalhados, operação que levou o tempo necessário para um restauro cuidadoso. Elementos como as portas e portadas em madeira, as sancas, os frisos e rodapés de época, foram recuperados ou substituídos por novos que imitam na perfeição a sua forma original. O novo volume metálico, contíguo do antigo, apresenta um estilo contemporâneo que procura espelhar os dois tempos da intervenção, onde o clássico e o contemporâneo vivem em contrastante harmonia. A presente candidatura ao Prémio Nacional de Reabilitação Urbana é motivada pelo produto final desta intervenção, quer pela sua imagem - que respeita a riqueza histórica e a memória do edifício original -, quer pelos desafios técnicos de construção e restauro que uma intervenção desta proporção representa.