Edifício Litografia Lusitana

Sustentabilidade

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Edifício Litografia Lusitana
Localização: Porto, Praça Mouzinho de Albuquerque, 197
Promotor/dono de obra: Ascendi
Arquiteto: André da Costa Almeida
Construtor: RBT Construção
Data do fim de construção: 01/10/2021

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Ascendi IGI, Inovação e Gestão de Infraestruturas, S.A.
Morada: Edifício Litografia Lusitana - Praça Mouzinho de Albuquerque, 197
Localidade: Porto
Código Postal: 4100-360
Telefone: 229997492
Site: https://www.ascendi.pt/
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

Foi há um século, em 1921 que Ignácio Alberto de Souza submeteu à Câmara Municipal do Porto o seu “desejo de mandar construir uma oficina de Litografia (impressão sobre folha)”. Tendo o seu negócio da Litografia Lusitana rapidamente prosperado, sendo responsável pela impressão do vetusto papel selado, a sua oficina foi sendo alvo de sucessivas alterações e ampliações até ao ano de 1986, momento da extinção do papel selado. E é já em dezembro de 2018 que a ASCENDI encontra a antiga Litografia já desprovida da sua função original e servindo apenas de estacionamento diurno às inúmeras atividades comerciais vizinhas. Com o apoio dos projetistas, logo identificaram na localização, na escala e na morfologia do edificado potencial único para a sua nova sede em pleno meio urbano consolidado e com capacidade para albergar mais de 350 funcionários em espaços amplos e potenciadores de boas dinâmicas colaborativas entre equipas. Mas se todas as potencialidades estavam identificadas, havia clara necessidade de avultado investimento para concretizar todas as virtudes adivinhadas. Acresce que a antiga Litografia, à semelhança de tanto património, encontra-se na posse de proprietários individuais, não institucionais e não profissionalizados que não considerando a sua alienação, foram capazes de compreender um não tão usual modelo de negócio, onde a ASCENDI como inquilina, assumiu o investimento de (re)habilitação, (re)conversão e (re)adaptação do imóvel aos atuais padrões de referência de escritórios, refletindo o investido no valor e na maturidade do arrendamento contratualizado. Uma vez compreendido o modelo e as necessidades do programa a instalar, definiram-se os objetivos projetuais a valorar: - (re)qualificar o edificado como um moderno edifício de escritórios, de referência em conforto, eficiência e sustentabilidade; - valorização da preexistência adaptando-a as novas valências; - restaurar e (re)habilitar o edificado; - valorização do pátio interior; De salientar alguns pontos que nortearam o projeto na resposta aos objetivos definidos: o PÁTIO PREEXISTENTE, desprovido de qualquer importância formal, mas compreendido como elemento diferenciador da nova alma que se conferiu ao edifício, convertido num jardim vestíbulo, charneira de toda a circulação; criação de 2 NOVOS PÁTIOS INTERIORES, de menor dimensão, com o objetivo de conduzir LUZ NATURAL aos amplos espaços interiores e aumento da ÁREA PERMEÁVEL do lote; redução da PEGADA ECOLÓGICA com a implantação de sistemas de sombreamento dos vãos exteriores expostos à incidência solar, de um sistema de recolha e utilização das águas pluviais e amplo recurso à energia solar, seja através de painéis solares de aquecimento de águas ou fotovoltaicos, cobrindo as necessidades energéticas do edifício e dos postos de carregamento de bicicletas e automóveis elétricos instalados Em termos formais foi necessário (re)pensar a hierarquização espacial preexistente de forma a melhor responder as novas necessidades e usos. À entrada da rua particular, de acesso menos exposto, coube o acesso dos utentes específicos do edifício, os funcionários do escritório, à entrada da rua de Agramonte, de acesso mais exposto, coube o programa de vertente pública, a loja da ASCENDI e os seus clientes. Por forma a garantir o correto acesso da rua particular ao jardim vestíbulo houve de anular o antigo portão de cargas e recentrar a entrada principal no alçado, despromovendo a antiga entrada principal à função de evacuação de emergência. Naturalmente houve de refazer todo o sistema de cobertura e criação de novas estruturas e infraestruturas; novos circuitos de circulação capazes de não só responder ao novo uso, mas também de garantir eficiência de evacuação: novas áreas técnicas para os equipamentos das redes de AVAC, de energia, de dados, de hidráulica, enfim todos os sistemas que compõem um moderno e funcional edifício de escritórios. De salientar ainda, toda a intervenção foi pautada por um estrito respeito pelo existente, pela sua linguagem, sendo que a escolha e empenho dos materiais, das técnicas, assim como a estética proposta é de carater absolutamente contemporâneo, mas sempre em dialética com o preexistente. Por fim nesta intervenção proporcionou-se algo inusitado, mas de grande valia urbana. Acontece que o edifício é servido por uma rua particular do mesmo proprietário, rua essa que à semelhança da Litografia, se encontrava em necessidade de atenção, pois nas suas confrontações com a rua “pública”, estava murada não convidando ao seu usufruto por parte da cidade. Felizmente a ASCENDI propôs-se a (re)pensar e (re)qualificar a rua de forma a melhor a integrar na malha urbana. Para tal aligeirou-se, simplificando os muros definidores de propriedade, instalaram-se árvores nos pontos de destaque da rua e um sistema de iluminação pública que resultaram numa mais fácil e convidativa permeabilidade pedonal da rua, que se pretende que seja de usufruto público, da cidade e dos seus cidadãos.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

O edifício faz parte da história da cidade do Porto há cerca de um século, a Litografia Lusitana, quem em tempos foi a principal referência da indústria da impressão no Porto, esteve mais de 20 anos encerrada, um edifício sem vida e sem a sua alma. A requalificação deste edifício é mais do que uma intervenção urbana, é recuperar a história da própria cidade. A concretização final, pela forma como soube respeitar a história do edifício incorporando os atuais padrões de referência de escritórios, tornando-o num local onde os colaboradores da Ascendi possam crescer movidos pela determinação, um local com visão de futuro, merece o reconhecimento de ser um exemplo das boas práticas de requalificação, ficando como referência ímpar de como as cidades se podem reinventar sem nunca perder a sua identidade.