Casa dos 24 - Igreja de São José dos Carpinteiros

Restauro

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Casa dos 24 - Igreja de São José dos Carpinteiros
Localização: Lisboa, Portugal
Promotor/dono de obra: Irmandade de Ofícios da Antiga Casa dos Vinte e Quatro
Arquiteto: RA\\ Rebelo de Andrade
Construtor: Cimave Construções
Data do fim de construção: 30/06/2020

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: RA\\ Rebelo de Andrade
Morada: Rua da Prata 214 1º
Localidade: Lisboa
Código Postal: 1100-422
Telefone: 219363430
Site: http://www.rebelodeandrade.com
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

O património da Irmandade é constituído pela Igreja, na Rua de S. José, pela sacristia de uso normal, a Sul e, a Norte, as antigas Casas da Irmandade, com acesso pela Rua da Fé. A Igreja, do séc. XVII, que preserva a traça e os arcos da capela-mor e das capelas laterais, foi reconstruída em parte depois do terramoto. Conserva ainda boa azulejaria do séc. XVIII e uma assinalável pintura decorativa com reservas nas abóbadas dos tectos, séc. XVIII/XIX. A Norte, localizam-se as referidas Casas da Irmandade, de boa arquitectura e acabamentos em pedraria e azulejos, destacando-se o pórtico da entrada onde, mais uma vez, encontramos a raríssima representação heráldica da Irmandade e dos ofícios da sua Bandeira. A obra que hoje podemos visitar, trata-se do resultado da intervenção num dos imóveis mais significativos e emblemáticos da cidade de Lisboa, visando o melhoramento e recuperação da Casa dos 24 e da Igreja de São José dos Carpinteiros que, além de apresentar uma enorme riqueza do ponto de vista artístico, arquitetónico e decorativo, também representa um património de valor simbólico e histórico para a cidade de Lisboa.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

Tratando-se de uma obra sobre património existente, grande parte da intervenção debruçou-se sobretudo em trabalhos de beneficiação, de reabilitação e conservação e restauro de elementos patrimoniais. Ao nível de trabalhos de construção civil e volumetria do conjunto edificado, a proposta de intervenção baseou-se no princípio de repor a volumetria original da Casa dos 24. Assim sendo, a proposta foi a de demolir o piso bastardo, sendo necessária a execução de nova estrutura da cobertura (metálica) e reforço da integridade estrutural do edifício com execução de um lintel perimetral em betão. Este tipo de abordagem é de notar, uma vez que, contrariamente às obras de adição, se distingue pela subtracção de um piso e de construções espúrias e em ruína. Por forma a melhor definir os percursos expositivos, foram trabalhados também os espaços exteriores criando uma perfeita harmonia e complementaridade entre interior e exterior, no sentido da criação de espaços que possam respirar no centro da cidade.