Hotel Intercontinental Palacio das Cardosas

Turístico

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Hotel Intercontinental Palacio das Cardosas
Localização: Porto
Promotor/dono de obra: Solitaire Empreendimentos Hoteleiros
Arquiteto: Alex Kravitz / Helder Salvado
Construtor: Lucios Engenharia e Construção
Data do fim de construção: 01/01/2017

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa:
Morada:
Localidade:
Código Postal:
Telefone: 911111111
Site:
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

retendeu-se transformar o edifício conhecido por "Palácio das Cardosas", situado na frente Sul da Praça mais emblemática da Baixa do Porto no primeiro Hotel Intercontinental em Portugal. O projecto de arquitectura, que considerou a demolição do edifício e manutenção da fachada original (autoria do arquitecto José de Champalimaud), foi assinado pelo Arquitecto Helder Salvado, e a decoração ficou a cargo do conceituado designer de interiores Alex Kravitz.

O projecto foi desenvolvido com base em alguns princípios de intervenção, dos quais se destacam: 
- Manutenção da imagem dos edifícios para os espaços urbanos envolventes (Praça Almeida Garrett, Praça da Liberdade, Largo dos Lóios). Estas fachadas foram reabilitadas através da limpeza dos granitos, a substituição dos rebocos e respectiva pintura, e as caixilharias de madeira substituídas por outras semelhantes mas adaptadas às exigências de conforto actual. O único elemento novo proposto foi uma pala em ferro e vidro, sobre a zona de entrada do Hotel, essencial para a protecção dos utentes. 
- Requalificação da frente Sul do edifício, unificando dentro do possível as cérceas e os volumes existentes, e propondo um novo desenho para o alçado, com uma métrica mais próxima da existente nas outras fachadas, mas com um aspecto contemporâneo. 
- Demolição das coberturas e de elementos dissonantes existentes e proposta de uma nova solução de cobertura coerente com o carácter unitário do edifício. No plano da cobertura orientado para o interior do quarteirão, também em telha cerâmica, foi introduzida uma sequência de pequenos volumes revestidos a zinco titânio, que correspondem a quartos de suites, para aproveitamento das vistas sobre a zona histórica do Porto, nomeadamente o morro da Sé.

O resultado e um espaço único na cidade e no País, caracterizado por detalhes de luxo, tais como materiais de construção de excelência, trabalho manual das madeiras e mármores, desenhados e talhados a medida do projecto, pés direitos elevados, tectos artísticos trabalhados com detalhes de decor português, papel de parede, candeeiros italianos com cristais Swarovski, moveis talhados a mão, louças Vista Alegre, entre muitos outros.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

Os motivos da candidatura desta obra prendem-se pelo caracter fundamental que este equipamento apresenta:
- Do ponto de vista de intervenção urbana, ao localizar-se na praça mais emblemática da Baixa Portuense e inserido num dos quarteirões-piloto identificados no Masterplan da Porto Vivo-SRU, o Intercontinental Porto ocupa o edifício que nasceu em 1798 no local do antigo Mosteiro dos Lóios, zona, inclusivamente, classificada pela UNESCO como património mundial. 
- Do ponto de vista construtivo e arquitectónico, pela demolição integral do edifício, com excepção da fachada, cuja contenção foi necessariamente um desafio por se tratar de uma estrutura secular, os grandes estaleiros, a dificuldade de acesso a obra pelos constrangimentos de trânsito nesta área da cidade, e o apertado prazo de conclusão do projecto, que obrigou a 24 horas de trabalho por dia, com uma equipa que atingiu as cerca de 200 pessoas, em simultâneo em obra. 
- Do ponto de vista social e económico, ao abrir a cidade a um mercado turístico anteriormente inexistente, transformando-se num embaixador do Porto, um símbolo de excelência e de qualidade, e devolvendo a cidade um dos seus espaços mais emblemáticos: o Café Astória.