Mercado do Bom Sucesso

Comercial & Serviços

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Mercado do Bom Sucesso
Localização: Praça do Bom Sucesso,Porto
Promotor/dono de obra: Mercado Urbano, Gestão
Arquiteto: Rosário Rodrigues - FA - Arquitectos
Construtor: Mota-Engil, Engenharia e Construção, SA
Data do fim de construção: 01/01/2017

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa:
Morada:
Localidade:
Código Postal:
Telefone: 911111111
Site:
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

A renovação e reconversão do Mercado do Bom Sucesso passou não só pela sua estrutura base, como pelo próprio conceito de mercado, tendo como objectivo atingir um equilíbrio na dualidade de ser um edifício moderno e diferenciador nos conceitos e o princípio do extremo respeito pelo objecto original, que foi classificado, em 2011, como imóvel de interesse patrimonial e Monumento de Interesse Público pelo Ministério da Cultura O projecto contempla a construção de dois volumes no interior, um destinado à instalação de um hotel de 4 estrelas com 85 quartos e outro destinado a escritórios. A solução procurou que se mantivesse a leitura de todo o espaço que encerra a cobertura do Mercado, assim como a sua estrutura e ritmos de aberturas. Os novos edifícios agora criados não tocam nas fachadas nem na cobertura existente, desenvolvendo-se, neste contexto, como peças escultóricas soltas Esta intervenção desenvolveu duas novas valências: um hotel de quatro estrelas com 85 quartos e um edifico de escritórios, que convivem com bancas de produtos gastronómicos e variados espaços de refeição, organizando-se neste espaço central num total de 24 lojas e 44 bancas de venda de produtos diversos, existindo ainda uma zona destinada a Mercado de Frescos, composta por peixaria, talho, fruta e legumes, flores e mercearia, com 3200 metros quadrados. No exterior do edifício existem 16 lojas de rua, mantendo-se em muitas delas os negócios originais. Em toda a envolvente exterior o projecto propõe a reparação dos elementos e materiais existentes, desde a cobertura em cobre, às caixilharias existentes, revestimentos e materiais originais. Em termos de conceito, pretendeu-se dar um outro rumo ao Mercado Bom Sucesso optando por um novo mercado direcionado para uma cidade cada vez mais movimentada e com novas necessidades.

 

MOTIVO DA CANDIDATURA:

A intervenção de renovação e reconversão do Mercado do Bom Sucesso pretendeu devolver à cidade um edifício de referência, que se encontrava muito degradado e com uma utilização muito reduzida e desqualificada, atraindo a esta zona um movimento que não a privilegiava.
O edifício do Mercado Bom Sucesso foi projetado em 1949 pelo gabinete ARS Arquitectos, com Fortunato Cabral, Cunha Leão e Morais Soares, na sequência da construção do Mercado Municipal de Matosinhos. Em 1952 é inaugurado este espaço de 10.000 metros quadrados, onde se incluíam várias lojas e bancas de produtos frescos.

O edifício é um exemplo de referência da Arquitetura Modernista, com uma estrutura de betão armado inovadora e uma cobertura abobadada, ligada a grandes vãos de caixilharia de betão “gracifer”, que lhe garantem uma iluminação natural intensa, definidora do interior do edifício. Foi desenhado com três pisos, de forma a aproveitar o declive natural da área, e rematado com lojas exteriores independentes.

Durante muitos anos o Mercado do Bom Sucesso funcionou como um espaço importante da zona oeste da cidade do Porto, sempre com uma grande actividade comercial e com grande movimento. Contudo, com a construção de outras superfícies comerciais na zona e com o próprio crescimento da sociedade e da cidade, a necessidade do uso do mercado foi diminuindo e as bancas foram sendo abandonadas.

Apostando-se na diferenciação e inovação de conceitos, desenvolveu-se um projeto que concilia serviços e comércio, numa perspectiva de resposta às necessidades modernas, valorizando no entanto os produtos tradicionais portugueses de qualidade.

O conceito actual, devolveu ao edifico e a esta centralidade importante do Porto, a circulação e o interesse da população e do Turismo, dignificando toda esta área, e atraindo o movimento e a vida que naturalmente lhes pertence.