Quinta em Catapeixe

Melhor intervenção inferior a 1000 m2

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Quinta em Catapeixe
Localização: Catapeixe
Promotor/dono de obra: Guy Bordin
Arquiteto: Marta Campos - Arquitectura / www.martacampos.pt
Construtor: Factor Prestígio, Lda.
Data do fim de construção: 21/11/2017

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Norte Magnético - Reabilitação e Investimentos Imobiliários, Lda.
Morada:
Localidade:
Código Postal:
Telefone: 966162448
Site: http://www.nortemagnetico.pt
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

A “Quinta de Catapeixe” é uma quinta situada nas margens do Rio Douro, com uma área de 1.600m2, que foi adquirida por um casal de cineastas Belgas, enamorados pelo Douro Vinhateiro e pela cinematografia Portuguesa. A quinta possui uma moradia unifamiliar isolada com dois pavimentos, implantada em socalcos, cujas construções originais em alvenaria de granito aparente se apresentavam muito descaracterizadas por adições pouco cuidadas em alvenaria de tijolo e betão armado, e cuja, estrutura de madeira, ainda existente, estava profusamente atacada por térmitas, havendo risco de colapso em alguns locais. Não apresentava condições de habitabilidade. O projeto de reabilitação teve como objetivo manter o uso habitacional, garantir uma ligação interior entre o rés-do-chão e o primeiro andar da moradia (inexistente na pré-existência) e ao mesmo tempo levar a cabo uma obra de reabilitação que conferisse ao conjunto acima identificado adequadas características de desempenho e de segurança funcional, estrutural e construtiva, com vista a permitir padrões de desempenho mais elevados, sem contudo descurar a importante relação/integração com a paisagem e a salvaguarda/valorização das característica originais da construção existente que apresentava elementos distintivos do património arquitetónico característico desta região. A estratégia de abordagem ao projeto incluiu a remoção de algumas construções dissonantes e a integrações de outras, procurando um desenho coeso do conjunto. Destaca-se, nomeadamente, o prolongamento construtivo da cobertura preexistente no Piso 1 sobre a cobertura plana de um volume existente no Piso 0 adoçado à construção inicial . Esta decisão permitiu a criação de um espaço para receção da escada de ligação entre o Piso 0 e Piso 1 e a criação de uma varanda coberta em franca relação com a paisagem. De salientar ainda a recuperação do forno a lenha e a inscrição na volumetria da casa de uma chaminé de fumeiro em relação com o mesmo, como é típico na região. No que respeita o sistema construtivo utilizado, na construção original as paredes estruturais em alvenaria de granito foram mantidas e a estrutura de madeira atacada por térmitas foi substituída por outra estrutura de madeira reproduzindo os princípios construtivos tradicionais. Foi também aproveitada a oportunidade da intervenção para incluir soluções construtivas que contribuíssem para a reabilitação energética do edifício e para a sua qualidade do ar interior, colocando isolamentos térmicos dimensionados adequadamente e incluindo na nova caixilharia de madeira e vidro duplo grelhas de admissão de ar. Formalmente optou-se por fazer uma reinterpretação das soluções formais tradicionais quer ao nível do desenho do conjunto, no desenho das suas fachadas e do seu interior.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

A reabilitação deste tipo de pequenas quintas, que acompanham o percurso do Rio Douro, são essenciais para qualificar esta região cuja parte do seu território é Património da Unesco. A intervenção no património edificado vernacular desta região, nem sempre tem sido feliz nas soluções adotadas, criando disrupções num território cuja harmoniosa relação entre paisagem natural e construída deve ser garantida. Entendemos que a nossa intervenção na “Quinta de Catapeixe” se apresenta como uma solução sensível às características do território e que contribuiu significativamente para a requalificação do Lugar de Catapeixe, e que, como tal, poderá ser exemplo para intervenções em outras pequenas quintas, de outros lugares que acompanham o curso do Rio Douro.