Taipas 45

Residencial

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Taipas 45
Localização: Rua das Taipas, Porto
Promotor/dono de obra: Emilia Neiva
Arquiteto: Pedro Ferreira Architecture Studio
Construtor: Homereab, Lda
Data do fim de construção: 06/04/2020

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Pedro Ferreira Architecture Studio L.da
Morada: Av. Valentim Ribeiro, 13, 1º G
Localidade: Esposende
Código Postal: 4740-208
Telefone: 253072611
Site: http://pfarchstudio.com/sobre
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

A obra visou a reconstrução e alteração de um edifício de habitação através da inserção de 5 (cinco) unidades de habitação unifamiliar, distribuídas pelos 7 (sete) pisos que constituem o edifício. A maioria das características espaciais e construtivas do imóvel foram conservadas. Como intervenção mais radical assume-se o reposicionamento das circulações verticais, localizando-as na parte traseira do lote (empena tardoz), por forma a garantir o melhor aproveitamento dos espaços de cada piso, assim como as suas condições de ventilação e iluminação natural. A organização espacial nos distintos pisos, embora tendo sofrido algumas alterações, nomeadamente com a inclusão de novas cozinhas e instalações sanitárias, manteve os princípios espaciais patentes no edifício, e o sistema estrutural composto por soalho de madeira sobre vigas de madeira e telha sobre asnas de madeira. Fez-se o aproveitamento do desvão da cobertura para a criação de um mezanino na fração do último piso, permitindo assim que o mesmo tenha um pé-direito confortável, assim como se proporcionou que esta fração usufruísse das vistas panorâmicas sobre a cidade que o edifício oferece. O edifício encontrava-se num elevado estado de abandono, em particular nos últimos pisos, o que acelerou o processo de degradação da estrutura da cobertura e potenciou a consequente degradação dos restantes pisos, com condições de habitabilidade muito precárias. As patologias decorrentes da degradação dos sistemas construtivos e das estruturas do imóvel, além de serem evidentes, permitiam infiltrações, pondo em causa a segurança do imóvel, assim como dos imóveis confrontantes. A proposta teve como intenção a manutenção integral do exterior do imóvel, recuperando as suas fachadas e a sua reconstrução interior, mantendo ao máximo as características, quer tipológicas, quer construtivas existentes. No entanto, a reconstrução permitiu melhorar os níveis de salubridade, segurança, acessibilidade, conforto térmico e acústico, garantindo os níveis de conforto atualmente exigidos, quer em termos legais, quer sociais. R/C e 1º – Pela particular configuração da escada de acesso ao piso 2 (dois), este piso permite o aproveitamento total da profundidade do lote, sendo o acesso a esta fração feito diretamente pela Rua das Taipas. Assim propôs-se a criação de um T0 com mezanino, de 57.00m2. A fração é composta por sala/cozinha, instalação sanitária, no piso do rés do chão, e um espaço de arrumos no primeiro piso, sendo que todo o apartamento se organiza em função das aberturas da fachada. Fração A – 57.00m2 2º e 3º e 4º Pisos – Estes são entendidos como o Piso Tipo do prédio, apesar de apresentarem ligeiras diferenças entre eles, que se resumem à existência ou inexistência de uma varanda sobre a Rua das Taipas, e pequenas variações dos pés-direitos. Resumem-se a tipologias T0 por piso, voltadas para a Rua das Taipas, compostas por sala/cozinha e instalação sanitária, perfazendo um total de 41.00m2: Fração B – 41.00m2 + 2.00m2 (varanda) Fração C – 41.00m2 Fração D – 41.00m2 + 2.00m2 (varanda) 5º Piso (recuado) – Para a fração proposta para o 5º piso (recuado) propôs-se a alteração das cotas de pavimento dos dois últimos pisos. Esta alteração permitiu dotar os espaços desta fração de iluminação e ventilação natural, ao contrário do que acontecia anteriormente no edifício. Da mesma forma, com esta alteração de cotas, melhoraram-se as condições de habitabilidade da fração do piso 4 (quatro), sendo-lhe aumentado o pé-direito. Foi possível ainda inserir no desvão da cobertura um outro piso, que funciona em mezanino, sendo um espaço de arrumos. Assim, criou-se uma tipologia T0 duplex com 50.00m2 , organizada em torno da claraboia das escadas, composto por hall, instalação sanitária e sala/cozinha, voltadas para a Rua das Taipas, permitindo o enquadramento nas vistas panorâmicas da cidade que esta cota possibilita. No piso seguinte, que se desenvolve em mezanino no desvão da cobertura, propôs-se um espaço de arrumos. Fração E – 50.00m2

MOTIVO DA CANDIDATURA:

PF Architecture Studio tem nos últimos 10 anos concentrado o seu enfoque criativo e comercial na intervenção em preexistências e reabilitação. Nesse sentido, tem sido prática recorrente do atelier a submissão dos nossos projetos neste que é um dos mais importantes prémios de reabilitação em Portugal, entendendo que o PNRU constitui pela sua seleção, método de análise e avaliação um barómetro isento e rigoroso da prática arquitetónica nacional no âmbito da reabilitação. Propomos o edifício Taipas 45 por entender que o mesmo materializa uma estratégia sensível e cuidada de intervir no património. Sendo um edifício de reduzidas dimensões condensou no seu processo um leque alargado de dificuldades técnicas e espaciais que julgamos terem sindo ultrapassadas com rigor no desenho e cuidado construtivo.