O Marmorista

Comercial & Serviços

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: O Marmorista
Localização: Rua da Meditação 118 , Porto
Promotor/dono de obra: May Logistics Lda
Arquiteto: Pedro Ferreira Architecture Studio
Construtor: Homereab, Lda
Data do fim de construção: 15/08/2021

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Pedro Ferreira Architecture Studio L.da
Morada: Av. Valentim Ribeiro, 13, 1ºG
Localidade: Esposende
Código Postal: 4740-208
Telefone: 253072611
Site: http://pfarchstudio.com/sobre
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

O presente projeto visou a recuperação e alteração de um edifício industrial construído no Séc. XIX e a sua alteração para um espaço de restauração de bebidas, conservando as suas características espaciais, morfológicas e construtivas. O objetivo funcional do edifício é alterado de Armazém/ Industria, para Comércio/Serviços, com o objetivo de licenciar Restauração e Bebidas. A proposta centrou-se em dois grandes objetivos: encerrar o volume a nascente, por forma a expandir o interior do edifício principal, uniformizando e unificando as partes, assim como tirar partido da altura desse mesmo volume por forma a construir um piso superior de apoio técnico. A entrada do restaurante/bar é feita através do pátio com acesso pela Rua da Meditação, tendo, as pessoas com mobilidade condicionada têm acesso pela Rua de Agramonte. No volume principal desenvolve-se o restaurante, mantendo todas as suas características originais. O espaço amplo é evidenciado por forma a enfatizar a caixa solta existente no centro da sala, revestida com painéis de mármore, no qual se desenha o programa da cozinha. Esta foi projetada tendo em consideração o circuito dos alimentos e instrumentos limpos e sujos, bem como despensas de dia e zona de frios, obedecendo aos requisitos regulamentares em vigor. Desta forma, neste volume foram definidas três áreas: no volume mais fechado localizam-se as zonas de sujos e de limpos, reservando a área de confeção para uma zona mais exposta e comunicante com os clientes. As mesas do restaurante posicionam-se lateralmente ao volume central, para que a circulação seja centralizada à volta da “caixa/cozinha”. Surge ainda a necessidade de introdução de um volume independente, por forma a facilitar a organização e o abastecimento do estabelecimento, bem como promover um funcionamento mais fluido entre as duas áreas de restauração e bar. Esse volume posiciona-se estrategicamente no prédio, a nascente com ligação independente à rua da Meditação para facilitar as cargas e descargas dos produtos, mas também proteger o espaço das instalações sanitárias que ficam no mesmo alinhamento que o volume, privando-o e filtrando-o ao espaço público. A fachada a sul será encerrada por forma a prolongar o espaço do restaurante para bar, com grandes portadas de ferro com vidro duplo incolor e bloco térmico com barramento pintado à cor RAL 9010. Ao nível do piso 0, desenvolve-se o bar com apoio de uma copa no lado poente, ao centro uma área de livre circulação com pé-direito duplo, e a nascente as instalações sanitárias separadas por sexos, constituídas por seis cabines, sendo que duas destinam-se a pessoas com mobilidade condicionada. Aproveitando o pé-direito do volume, organiza-se sobre as instalações sanitárias destinadas aos clientes, o programa de apoio necessário ao funcionamento do estabelecimento de restauração e bebidas, nomeadamente, área de arrumos, vestiários e instalações sanitárias destinadas ao uso pessoal. As caixilharias existentes na fachada lateral do edifico principal, serão recuperadas, porém, os portões existentes nas fachadas principal e tardoz, serão substituídos por portas em ferro na fachada principal e por uma estrutura em ferro e vidro com a finalidade de expositor de garrafas na fachada tardoz de acesso ao pátio.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

PF Architecture Studio tem nos últimos 10 anos concentrado o seu enfoque criativo e comercial na intervenção em preexistências e reabilitação. Nesse sentido, tem sido prática recorrente do atelier a submissão dos nossos projetos neste que é um dos mais importantes prémios de reabilitação em Portugal, entendendo que o PNRU constitui pela sua seleção, método de análise e avaliação um barómetro isento e rigoroso da prática arquitetónica nacional no âmbito da reabilitação. Propomos O Marmorista por entender que o mesmo materializa uma estratégia sensível e cuidada de intervir no património. Apesar da mudança de uso, a intervenção respeita e reutiliza em absoluto todas as características do edifício original tanto espaciais como construtivas, conseguindo converter um espaço industrial frio e degradado num confortável e eficiente edifício de restauração e bebidas.