Duque 70

Residencial

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Duque 70
Localização: Av. Duque de Loulé 70, 1050-091 Lisboa
Promotor/dono de obra: Habitat Invest
Arquiteto: SANTA-RITA & ASSOCIADOS
Construtor: UDRA
Data do fim de construção: 06/06/2021

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Habitat Invest
Morada: Rua da Moeda nº4
Localidade: Lisboa
Código Postal: 1200-275
Telefone: 213461024
Site: https://habitatinvest.pt/
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

Qualquer obra de reabilitação é sempre uma procura de respostas arquitetónicas específicas, apesar de no presente caso tratar-se de uma intervenção que interliga três edifícios similares com um outro edifício com uma presença muito singular na cidade. Os respetivos estados de conservação, localização e envolvente, a dimensão e geometria, e os inerentes valores construtivos e decorativos de uns e de outros, impõem sempre um olhar projetual que procure interpretar e encontrar as respostas mais adequadas para as inúmeras questões que este tipo de intervenções coloca, ponderando a tipologia de acções e propostas a implementar. O caso concreto refere-se a uma intervenção em quatro edifícios no centro de Lisboa. Três localizados na Rua de Andaluz e um na Avenida Duque de Loulé, prevendo-se a reconstrução dos três primeiros e a reabilitação do último, reconfigurando-os para 53 Habitações com tipologias T0, T1, T2 e T3. Respondendo a uma das premissas da intervenção propõe-se também a recuperação dos diversos átrios de entrada, quer espacialmente, quer dos seus diversos elementos decorativos. A intervenção abrange um terreno com uma área de 2.097,00m2, uma Área Bruta de Construção de Habitação de 6,521,62m2, uma área Bruta de Construção Total de 10,800,00m2 (Habitação e Estacionamento, e um Logradouro com uma Área de 831,46m2. No âmbito da intervenção foi proposta a redução das empenas dos edifícios da Rua de Andaluz, contribuindo para um significativo aumento do espaço do logradouro e consequentemente para o maior desafogo do interior do quarteirão, criando-se uma área de estar, recuperando em muito, a vivência deste tipo de espaços. O logradouro é constituído por um conjunto de espaços privativos das Habitações Duplex localizadas no Piso -1 dos edifícios da Rua de Andaluz e das Habitações localizadas no Piso 0 do edifício da Avenida Duque de Loulé e ainda por um espaço central ajardinado e arborizado destinado ao usufruto dos diversos residentes. No caso do edifício da Avenida Duque de Loulé, em função da profundidade da sua empena, considerou-se a abertura de um espaço central, de configuração circular, integralmente revestido a azulejos de modo a potenciar a luz natural e matizar, para os espaços habitados no seu perímetro, os seus reflexos ao longo dos vários pisos em que se desenvolve este cilindro, reinventando-se a seu modo a ambiência da tipologia dos saguões. Os interiores foram desenhados num diálogo entre existente e novo, o passado e a contemporaneidade. No caso dos Edifícios da Rua de Andaluz, a redução da profundidade das suas empenas, possibilitou uma outra liberdade na organização do espaço interior, aumentando a complexidade nos casos em que as tipologias se desenhavam integrando a geometria das coberturas, proporcionando ambientes singulares do ponto de vista da sua habitabilidade. No caso do edifício da Avenida Duque de Loulé a riqueza figurativa e decorativa da fachada existente e a profundidade do mesmo, permitiram estabelecer como ponto de partida o redesenho do sistema espacial existente, atualizando-o e reinventando de modo a corresponder às exigências e modos de habitar dos dias de hoje. Do ponto de vista construtivo, a intervenção considera uma estrutura em betão armado, com excepção da cobertura, incluindo as trapeiras (revestidas com Zinco pré-patinado), na qual adoptou-se uma solução mais ligeira com recurso a uma estrutura metálica. No caso das paredes existentes a manter dos diversos edifícios foram utilizados por motivos estruturais, lâminas/reforços de betão pelo interior e nalgumas situações pontuais reboco armado pela face exterior. Por motivos térmicos foi considerada na face interior das paredes exteriores, a realização de uma parede forra em gesso cartonado com isolamento térmico. No caso das novas paredes exteriores, foi utilizada uma solução com alvenaria de tijolo térmico de betão, revestida na face interior com uma forra em gesso cartonado com isolamento térmico, e na face exterior com um sistema do tipo capoto, protegido com um revestimento em azulejo com acabamento semi-artesanal. No caso das varandas foi considerado nas varandas do tardoz do edifício da Avenida Duque de Loulé uma estrutura com elementos em aço pintado de modo a preservar a imagem existente do ponto de vista estrutural, e nas novas varandas do tardoz dos edifícios da Rua de Andaluz uma estrutura constituída por lajes em betão armado e perfis metálicos de enquadramento, de modo a simular uma situação idêntica à outrora existente.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

Por se considerar uma obra com caracter e carisma, situada numa avenida dotada de valor e referências históricas, consideramos que o Duque 70® se trata de um candidato com real pertinência a um prémio deste destaque neste sector específico da Reabilitação. A reabilitação urbana tem-se vindo a demostrar de extrema relevância e o Duque 70® seguiu durante toda a sua concepção – do projecto à construção – directrizes cuidadas e orientadas, com vista a atingir patamares de alta qualidade de produto e conforto, para os utilizadores finais. Com premissas bem estruturadas e regras de definição de reabilitação e enquadramento urbano, toda a estrutura predial do Duque 70® insere-se com harmonia no quarteirão formado pelo encontro da Avenida Duque de Loulé e a Rua de Andaluz. Concebendo assim a união entre estas duas frentes com caráter urbano e histórico bastante distintos, assumindo e enaltecendo a humildade da Andaluz, com a distinção e excelência da Avenida Duque de Loulé. Com estes pressupostos, considera-se o conjunto urbano do Duque 70® um distinto candidato ao prémio em causa.