Edifício Misto, Travessa do Rosário 31

Impacto Social

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Edifício Misto, Travessa do Rosário 31
Localização: Travessa do Rosário, n.º 31-31A 1250-196 Santo António LISBOA
Promotor/dono de obra: Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
Arquiteto: Arq. Tomás Santos Silva Azevedo Neves (OA com o n.º 5877)
Construtor: M.KAIROS Engenharia e Construção SA
Data do fim de construção: 23/04/2021

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
Morada: Departamento de Gestão Imobiliária e Património Largo Trindade Coelho
Localidade: Misericórdia
Código Postal: 1200-470 Lisboa
Telefone: 213235732
Site: http://www.scml.pt
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

A intervenção urbana que aqui apresentamos trata da adaptação de um edifício que anteriormente era exclusivamente de serviços (escritórios), para vir agora comportar novas valências tais como Serviços da Ação Social da SCML, a Escola no Chiado (Creche e Pré-escolar do Centro Social Paroquial da Nossa Senhora da Encarnação (CSPNSE) e Habitações para Arrendamento Jovem da SCML. Esta relevante intervenção prevê a reinstalação do serviço de apoio domiciliário (SAD) pertencente à UDIP Tejo da SCML, que está atualmente divida em 3 espaços provisórios, o Centro Social de São Boaventura na Rua de São Boaventura, nº 111, o Centro de Dia Frei Miguel Contreiras na Rua Presidente Arriaga, nº 24 - A e a Cave na Igreja da Pena na Calçada de Santana à Vila Serra para o piso 0 e -1 da Travessa do Rosário 31. Com esta reunião da equipa no mesmo espaço, será mais fácil o desenvolvimento deste serviço que permitirá também uma maior organização e gestão do tempo uma vez que a equipa está próxima fisicamente e portanto consequentemente prestará um melhor serviço ao utente. Deste modo, esta reinstalação dos serviços da ação social tem como objetivo reduzir o desgaste da equipa, aumentar a supervisão das equipas e unificar o serviço com vista a melhoria da resposta e qualidade prestada. De referir também que este novo espaço oferece maiores instalações, com melhores condições para toda a equipa, e aos profissionais que estão no terreno (o auxiliar de geriatria e de apoio à comunidade). Estes profissionais de trabalho ímpar, prestam cuidados de apoio direto e assistência a pessoas em situação de acolhimento residencial, não residencial e/ou no domicílio, abrangendo cuidados de higiene, conforto e alimentação. Colaboram também nas tarefas de ocupação de tempos livres. Para o desenvolvimento destas atividades, estes profissionais vão passar a preparar-se e terminar as suas visitas no 31 da Travessa do Rosário, desfrutando futuramente de muito melhores condições de trabalho (sala de refeições e descanso, chuveiros, cacifos, entre outros). Relativamente à creche e pré-escolar que anteriormente tinha instalações na Calçada da Glória um edifício da SCML passou a integrar este edifício com a designação “A Escola no Chiado”. Esta escola representa um serviço social do Centro Social Paroquial da Nossa Senhora da Encarnação (CSPNSE) , uma instituição particular de solidariedade social fundada a 1958, que se dedica a apoiar as famílias na educação dos filhos. Esta mudança de instalações permitiu aumentar o número de vagas no âmbito das suas valências, e oferecer muito melhores instalações à nova Escola. Por último, as habitações para arrendamento jovem localizadas nos pisos 4 e 5 dão expressão ao caminho desenvolvido pela SCML em criar condições para o acesso de jovens ao arrendamento de frações habitacionais a preços acessíveis, tendo em conta as condições de mercado, contribuindo desta forma para contrariar a tendência para o envelhecimento da população nos centros urbanos, possibilitando que jovens que trabalhem ou estudem no município de Lisboa possam também nele residir. As candidaturas a estas frações estão previstas num Manual próprio para este tipo de arrendamento, no qual são definidos critérios gerais de acesso dos jovens ao arrendamento de frações propriedade da SCML, nomeadamente a idade, a situação laboral e/ou académica, bem como as condições contratuais do arrendamento, isto é o desconto a aplicar na renda e prazo de duração do contrato. O arrendamento jovem tem assim objetivos sociais por oferecer casas especificamente para faixas etárias mais novas, e objetivos económicos por tratar-se do arrendamento do património da SCML permitindo a sua sustentabilidade. Damos nota, que esta alteração funcional ao edificado previu reformulações, tais como a substituição dos dois elevadores existentes, por um maior e de maior capacidade. Também foi feita a reformulação do lanço de escadas do piso 4 para o piso 5, para permitir o acesso às habitações de rendimento, agora incluídas. Por ser incluída a creche, o rés-do-chão comporta agora não só o acesso aos serviços, como a entrada independente da creche. Assim, no mesmo edifício conjugaram-se diferentes respostas: o apoio domiciliário (piso 0 e -1), o Arrendamento Jovem nos pisos 4 e 5) e a creche. Esta nova abordagem ao património da instituição é, assim destacada, não só por cumprir com os melhores critérios de reabilitação melhorando a eficiência energética e opções construtivas e de acabamentos, mas também por via da funcionalidade onde melhor se tira partido dos edifícios, não esquecendo a vertente da sustentabilidade. Com isto, devemos realçar que as habitações disponíveis na Travessa do Rosário (8 Frações de tipologia T1) estiveram para arrendamento jovem no Site da SCML, estando agora já arrendadas, o que mostra a forte procura do mercado deste tipo de arrendamento.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

Esta intervenção tem um forte impacto social que sua oferta mista em serviços, creche e habitação jovem. As duas fortes respostas sociais que o edifico apresenta são o arrendamento jovem, que vem solucionar o problema de alguns dos tantos estudantes que procuram em Lisboa uma casa com um valor de arrendamento que possam suportar, e por outro lado a resposta para os mais velhos que muitas vezes mais isolados, veem no apoio domiciliário o garante do seu bem-estar e envelhecimento digno, pelo apoio em atividades básicas que sozinhos não seriam capazes de assegurar. Este serviço da ação social da instituição contribuiu assim para um evidente benefício do apoio domiciliário. Em Lisboa, onde existem tantos idosos, este serviço é uma resposta importantíssima pois permite todo o apoio aos mais velhos e também o combate ao seu isolamento. Também a reinstalação da Creche, que resulta da parceria da SCML e a CSPNSE, permitiu indiretamente apoiar crianças a partir dos 24 meses até ao fim do pré-escolar. Deste modo, podemos referir que este projeto faz jus aos objetivos da gestão do património da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, pois claramente representa a otimização e conservação do edificado, como também prevê a geração de receita, com responsabilidade social, por via do arrendamento jovem. Como exemplo da otimização do espaço, temos por um lado as novas funcionalidades por outro a correção do edificado através do desenho das compartimentações permitindo a sua melhor utilização e servindo a mais fins. Este rejuvenescimento do património da instituição pressupõe correções do estado de conservação do edifício, que passam por diferentes opções estruturais e funcionais, de modo a melhorar a sua durabilidade e aumentar o conforto dos seus utilizadores.