Reabilitação Teatro Narciso Ferreira

Impacto Social

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Reabilitação Teatro Narciso Ferreira
Localização: Riba d'Ave, Vila Nova de Famalicão
Promotor/dono de obra: Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão
Arquiteto: Noé Diniz, Arquiteto
Construtor: Costeira - Engenharia e Construção
Data do fim de construção: 31/08/2021

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Costeira - Engenharia e Construção
Morada: Rua da Veiga, n.9, Barreiro Adaúfe
Localidade: Braga
Código Postal: 4710-572
Telefone: 253603530
Site: https://www.costeira.pt/
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

A presente intervenção proposta visou a recuperação do velho e em ruína Teatro Narciso Ferreira em Riba d’Ave, construído nos anos 40, que se encontrava fechado e devoluto há mais de 20 anos. Uma reabilitação integral do edificado com preservação dos seus elementos caracterizadores, tanto ao nível da linguagem arquitetónica, como da sua caracterização volumétrica e espacial. Procurou-se manter as características formais existentes das fachadas, dado tratar-se de um edifício representativo de uma época e simbólico no contexto da comunidade local. O espaço interior foi totalmente intervencionado para responder à realização de espetáculos com uma tipologia contemporânea, ficando dotado de todas as condições técnicas exigidas. O edifício é constituído por uma sala de espetáculos principal, articulada com diversos espaços de acolhimento de público, onde podem ser realizadas pequenas exposições, articulando-se com um conjunto de espaços de apoio técnico, serviços e atividades conexas e afins, fundamentais para a sua sustentação funcional. A sala de espetáculos tem uma lotação variável, possibilitada através de uma bancada telescópica motorizada retrátil e da redução da área útil do palco, entre 168 e 250 lugares sentados, existindo a possibilidade de utilização da plateia para espetáculos em pé com lotação de 500 pessoas. Apresenta uma tipologia contemporânea multifuncional, que juntamente com o teto técnico integral praticável, permitem configurações cénicas variáveis capazes de responder tanto a desafios criativos específicos quer a montagens mais tradicionais, e ainda a utilizações de carácter lúdico e de atividades do âmbito da formação e da vida comunitária. Reúne os requisitos técnicos necessários à realização dos seguintes programas e atividades: Assembleias, reuniões magnas, atos públicos, sessões solenes, conferências, palestras, apresentações, espetáculos de dança, música de câmara e/ou solista – vocal e/ou instrumental, música moderna e contemporânea com componente eletroacústica dominante, ópera e teatro. Foi considerado também um pequeno restaurante-café-concerto, um novo espaço de eleição para conversas e música ambiente associado ao funcionamento de um bar, e facilmente se desarticula da programação da sala de espetáculos. Para além do auditório principal e das áreas para a administração do espaço, receção, ensaios, camarins e oficinas, foi criado um terraço/logradouro ao ar livre dimensionado como espaço de lazer e convívio para utentes e visitantes, contemplando condições para acolher pequenos eventos e espetáculos, o que permitirá ainda um desejável funcionamento complementar à Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão. No que se refere à intervenção na recuperação, procurou-se assegurar a sua linguagem arquitetónica, que revela alguns princípios modernistas depreendidos na grande racionalidade volumétrica e funcional, e num certo abstracionismo geométrico do alçado, marcado a sul por uma torre, onde figura o patrono.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

O motivo de candidatura prende-se com a modernidade de um espaço de qualidade excelente não só do ponto de vista arquitetónico, mas dos equipamentos, da funcionalidade, dos meios técnicos, e da potencialidade, pois tem todas as condições para receber grandes espetáculos. A reabilitação do Teatro Narciso Ferreira é um marco importante na história de Riba d’Ave. Tudo o que se associa a este edifício mexe com as memórias e a história da Vila, e por isso foi uma das mais importantes intervenções dos últimos 50 anos, para a população. Foram muitos anos a olhar para ruinas, olhar para um edifício abandonado era algo que tinha um impacto negativo no psicológico da comunidade. Um edifício que estava devoluto e agora renasceu, distinto, multifacetado, que se destaca pelo vanguardismo das soluções utilizadas. Existem pormenores técnicos e funcionais que tornam este espaço único e inovador, capaz de responder às necessidades da própria comunidade, mas também de albergar alguns espetáculos de âmbito mais profissional. A sala de espetáculos que apresenta uma tipologia contemporânea multifuncional, de cota única, contemplando uma bancada telescópica motorizada, que retrai totalmente e um teto técnico integral praticável, características que lhe permitem configurações cénicas variáveis, capazes de responder tanto a desafios criativos específicos quer a montagens mais tradicionais, e ainda a utilizações de carácter lúdico e de atividades do âmbito da formação e da vida comunitária. Um exemplo raro em Portugal da arquitetura modernista.