Casa em Águeda

Residencial

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Casa em Águeda
Localização: Avenida Dr Joaquim de Mello, Águeda
Promotor/dono de obra: Andreia Rafaela Simões Ferreira
Arquiteto: António Manuel Marques Figueiredo
Construtor: Hoturb - Soc. De Construções, SA
Data do fim de construção: 20/11/2013

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Espaço Objecto, aqrquitectura e design, Lda
Morada: Rua Dr Eduardo Caldeira, n7
Localidade: Águeda
Código Postal: 3750-141 Águeda
Telefone: 234625170
Site: None
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

Este projeto de habitação unifamiliar é o resultado da intervenção num edifício de arquitetura eclética do início do séc. XX, situado na Av. Dr. Joaquim de Melo, em Águeda e classificado pelo PDM como imóvel de interesse patrimonial. A linguagem arquitetónica do imóvel intervencionado é caracterizada por um conjunto de elementos decorativos nas suas fachadas, de inspiração ou com referências Art Deco, evidenciando na sua volumetria um elemento que se destaca na cobertura do corpo do edifício mais próximo do arruamento público e, cujo efeito, era meramente decorativo. A sua integração na malha urbana, predominantemente de habitação unifamiliar isolada, o seu valor arquitetónico, a sua relação visual e de proximidade com o jardim público Conselheiro Conde de Sucena, para além das suas particularidades em termos históricos no contexto da arquitetura portuguesa da época, justificaram a decisão de se avançar as obras de reabilitação e de ampliação com vista à sua adequação para residência própria. A intervenção/preservação no imóvel existente incluiu obras visando uma nova compartimentação interior e uma habitação de tipologia T3. A reabilitação das fachadas, com a preservação de todos os elementos decorativos que as caracterizam, mereceu um forte empenho da proprietária e da equipa projetista para a salvaguarda da arquitetura original. Para o efeito, antes de se iniciarem as obras de limpeza das fachadas, foram executados moldes de todos os elementos decorativos, garantindo assim, a integridade do seu desenho. O programa funcional da pré-existência compreende, ao nível do r/chão, a zona de entrada e a sala comum; no 1º andar, a biblioteca e um quarto com zona de vestiário e instalação sanitária privativa. A área de ampliação distribui-se por 3 pisos: um piso de cave destinado a garagem, o piso do r/chão destinado a cozinha e zonas de apoio, sala de estar informal e ginásio, e o 1º andar parcial, com dois quartos e respetivas instalações sanitárias. Este corpo de ampliação articula-se com o edifício existente assumindo algum compromisso formal e volumétrico, através de um pequeno volume que acentua e marca a nova intervenção. A textura, a cor e a estereotomia da nova construção em betão aparente branco contribuem para relacionar entre si os dois corpos distintos que, embora bastante divergentes na sua linguagem arquitetónica, formal e temporal, procuram o diálogo possível não só, através da volumetria, mas também através de alguns elementos e materiais que integram as suas fachadas.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

Sendo este concurso destinado ao reconhecimento de intervenções no âmbito da requalificação urbana, esta obra surge associada a uma prática de projeto onde se promove a pré-existência como conceito identitário e base de formulação de novas abordagens arquitetónica. Esta candidatura é, igualmente, uma oportunidade de valorização do trabalho realizado e é o resultado do envolvimento e do sentido de responsabilidade de todos os intervenientes na preservação da arquitetura de um edifício emblemático da cidade de Águeda que encerra em si, a história da cidade, mas também, cultura e arte. O reconhecimento desta intervenção pode ser um catalisador para outras intervenções em muitos outros imóveis existentes neste concelho e que, também, deveriam ser merecedores de uma atenção especial com vista à sua preservação e requalificação. Alvará de autorização de utilização nº97/21 de 2021/08/16