UCCI - Unidade de Cuidados Continuados Integrados Rainha Dona Leonor

Impacto Social

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: UCCI - Unidade de Cuidados Continuados Integrados Rainha Dona Leonor
Localização: Rua de Santo António à Estrela, 29 Lisboa
Promotor/dono de obra: Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
Arquiteto: André Ricardo de Brito Caiado (OA 4154)
Construtor: ACCIONA Construcción S.A.
Data do fim de construção: 01/07/2021

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Santa Casa da Misericórdia de Lisboa
Morada: Departamento de Gestão Imobiliária e Património Largo Trindade Coelho
Localidade: Misericórdia
Código Postal: 1200-470 Lisboa
Telefone: 213235732
Site: http://www.scml.pt
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa adquiriu em Setembro de 2015 as antigas instalações do Hospital Militar da Estrela para instalar uma Unidade de Cuidados Continuados Integrados (UCCI) Rainha Dona Leonor, equipamento extremamente necessário para dar resposta a uma necessidade já anteriormente identificada. Este equipamento já em funcionamento, terá impacto não apenas na população da área metropolitana de Lisboa mas também na população portuguesa em geral. O projeto foi desenvolvido sobre um edifico existente, tendo apresentado condicionantes e desafios, que devidamente superados, vieram dar lugar a esta Unidade de saúde moderna e bem equipada. Com esta obra foi possível encontrar soluções que permitissem compatibilizar o lado funcional com o volume edificado, a estrutura existente e a organização interna, de modo a torná-lo exequível quer em termos de funcionalidade do equipamento quer em termos financeiros. Os objetivos desta intervenção foram: • Projetar uma nova UCCI que se assuma claramente como uma Unidade de excelência a nível da prestação de cuidados de saúde. • Projetar uma nova UCCI que coloque o utente e o seu bem-estar no centro de toda a organização hospitalar. • Projetar uma nova UCCI que assuma a importância da qualidade do ambiente de trabalho para os profissionais de saúde. Esta intervenção fez-se face a um conjunto de condicionantes que aqui enumeramos: - Condicionantes externas relacionadas com a localização e preexistências (aspetos do desenho do anterior Hospital Militar) - Condicionantes legais uma vez que, de acordo com o PDM, o edifício localiza-se em área de reabilitação urbana, classificado como imóvel militar – Convento da Estrela- ala norte e em zona de especial proteção da DGPC devido à proximidade à Basílica da Estrela. Por essa razão, para qualquer intervenção no local foi necessário consultar diversas entidades tais como Aeroportos e Navegação aérea, CML, DG do Património e Ministério da Defesa Nacional. O programa funcional desta UCCI, prevê os serviços de apoio (central de resíduos, rouparia central, limpeza, manutenção, deposito de cadáveres, entre outros), serviços gerais (central de segurança, receção, cafetaria, atendimento social, áreas de atividades, refeitório, sala de culto e sala multiusos), serviços de apoio médico (farmácia, medicina desportiva e reabilitação) e serviço de internamento (unidade de longa duração e manutenção e unidade de média duração e reabilitação). O objetivo desta intervenção foi assim interligar da melhor forma as necessidades e especificações do programa funcional com as questões ligadas com a arquitetura e a construção. Este objetivo só foi alcançado pelo processo comum e contínuo de análise e estudo. Deste modo, neste processo comum foram discutidos princípios gerais de organização da unidade, a sua divisão em áreas distintas, e a definição das relações de adjacência para que estabeleça princípios para a sua própria arquitetura. No final, o projeto de arquitetura representa e sintetiza os princípios definidos no programa funcional, tornando-se uma peça intrinsecamente ligada a este. O grande objetivo foi a criação de um equipamento que permita condições para uma eficaz e avançada prestação de cuidados de saúde, promovendo uma arquitetura de qualidade, atingindo estes objetivos dentro dos custos e encargos sustentáveis, para todas as partes envolvidas.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

Uma reabilitação que permite uma resposta a nível nacional de Unidade de Cuidados Continuados Integrados, é motivo de candidatura e destaque pela indiscutível importância. A UCCI Rainha Dona Leonor, funcionará numa estrutura requalificada, que nasce no antigo Hospital Militar da Estrela, tendo a capacidade para 91 camas, distribuídas por 3 tipologias: Unidade de Convalescença com 13 camas, Unidade de Média Duração e Reabilitação com 39 camas e Unidade Longa Duração e Manutenção com 39 camas. Estão já em funcionamento as três Unidades: A Unidade de Convalescença, a de Média Duração e Reabilitação e a Unidade de Longa Duração e Manutenção. Com estas novas respostas, Lisboa passa a dispor de 100 camas da tipologia Convalescença, 84 camas de Média Duração de Reabilitação e 92 camas de Longa Duração e Manutenção da RNCCI. Onde outrora estava o hospital militar obsoleto, renasce agora uma nova porta para cuidados continuados de saúde que em muito contribui e contribuirá para a saúde nacional. Com esta intervenção, foram, por um lado ultrapassados desafios, como condicionantes externas pela sua localização, questões legais e limitações do edificado existente, e por outro lado atingida a ambição de uma resposta de saúde com todos os requisitos de centralidade do utente, bem-estar dos profissionais de saúde e excelência do serviço. De portas abertas ao público podemos referir ir que o UCCI Rainha D. Leonor representa hoje um equipamento de forte impacto social.