MONUMENTAL

Comercial & Serviços

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: MONUMENTAL
Localização: Praça do Duque de Saldanha, Lisboa
Promotor/dono de obra: MERLIN PROPERTIES
Arquiteto: Broadway Malyan
Construtor: SACYR SOMAGUE, S.A.
Data do fim de construção: 20/05/2021

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: MP MONUMENTAL S.A
Morada: Rua Braamcamp, nº 2, 2º
Localidade: Lisboa
Código Postal: 1250-050
Telefone: 210485344
Site: https://www.merlinproperties.com/
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

O edifício Monumental, situa-se no coração do centro de Lisboa, na Praça Duque de Saldanha , num dos principais eixos de circulação da cidade de Lisboa. O edifício existente, construído nos anos 90, faz parte do imaginário coletivo da cidade, mais pelo facto de ter vindo substituir o mítico edifício do Cineteatro Monumental um dos mais marcantes da cidade, que fora demolido na década de 80. O projeto foi desenvolvido pela Broadway Malyan, para a empresa líder do mercado imobiliário espanhol, Merlin Properties, e consiste na remodelação completa do edifício comercial e de escritórios. Integra seis pisos de cave, sendo o primeiro piso de cave, em conjunto com o piso térreo, destinados ao uso comercial, e onde o pequeno centro comercial foi convertido numa grande loja com acesso direto da rua. Os doze pisos acima do solo, são destinados a espaços de escritório, com os espaços de cinema a ocupar parte dos dois primeiros pisos. Os escritórios beneficiam de dois átrios distintos, localizados em fachadas opostas do edifício, tendo agora um sentido de chegada de maior nobreza e destaque com os novos átrios caracterizados por espaços com duplo pé-direito revestidos com materiais nobres e que transmitem conforto à chegada dos utilizadores. Uma das principais alterações do edifício foi a fachada, completamente redesenhada para trazer a ‘cara’ do edifício de volta para a atualidade. A geometria da fachada foi simplificada , eliminando os cantos curvos no topo do edifício, tornando a volumetria mais simples, nobre e elegante. Composta por módulos envidraçados a toda altura entre pisos, com molduras exteriores projetadas em relação ao plano de fachada, providenciam sombreamento, e contribuem para o aspeto visual, acentuando o ritmo da geometria da fachada. A transparência e comunicação visual entre os espaços interiores e exteriores é um dos aspetos chave deste elemento. Do ponto de vista tecnológico, esta fachada é composta por 3 camadas distintas de vidro, com uma caixa de ar ventilada a meio, fazendo com que o edifício seja mais eficiente do ponto de vista térmico e acústico, sem retirar entrada de luz para os espaços interiores de escritórios e mantendo a premissa da transparência. A remodelação do edifício Monumental traz de volta a sua identidade e carácter para a Praça Duque de Saldanha, com uma nova, elegante, equilibrada e reinventada versão de si mesmo.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

Monumental desde a sua génese como Cineteatro na década de 40, manteve-se Monumental nos anos 90 e permanecerá Monumental para o futuro. Desde sempre idealizado como elemento de referência, o edifício retoma, com a reforma levada a cabo, o seu protagonismo intrínseco.

Localizado na Praça do Duque de Saldanha, o Cineteatro Monumental assumiu-se como peça edificada preponderante, no eixo principal do plano de Ressano Garcia, concebido no final do século XIX, e que ao longo das primeiras décadas do século XX ganha forma e frentes urbanas, destacando-se o seu carácter majestoso e centralizador. Várias décadas depois, e após um período em que outros edifícios ganharam voz na Praça do Duque de Saldanha, o Monumental reclama novamente o papel principal, destacando-se pelo vanguardismo e contemporaneidade da sua volumetria depurada, recuperando a simplicidade da peça edificada relevante no plano do Engenheiro da Câmara Municipal, rótula entre a Avenida da República e a Avenida Fontes Perira de Melo.

A galeria em arcada do majestoso Cineteatro foi desenhada para convidar o público a descobrir o edifício, e com alguma audácia influenciou o desenho da Praça, mantendo-se como linguagem comum para outros edifícios vizinhos que também assumiram este espaço intersticial como charneira fulcral na vivência entre o exterior e o interior. As galerias mantiveram-se como elemento característico ao longo dos anos, apesar de funcionalmente o antigo centro comercial ter as suas entradas localizadas lateralmente e não apontadas ao centro da Praça. Recupera-se agora esta identidade, privilegiando-se a receção do público pelo centro da galeria, a uma única loja que se afirmará como o novo polo centralizador de quem percorrerá a Praça.

Passeios generosos que prolongam as galerias cobertas até às manchas verdes orgânicas da Praça, foram recentemente promovidos pelo Município, numa iniciativa que visou a requalificação do principal eixo da cidade. O novo Monumental virá, agora, contribuir para voltar a dar protagonismo ao Saldanha, enquanto uma das principais praças de Lisboa.