Equipamento – Sociedade Filarmonica de Carnaxide

Impacto Social

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Equipamento – Sociedade Filarmonica de Carnaxide
Localização: R. 5 de Outubro 6, 8 2780-205
Promotor/dono de obra: Camara Municipal de Oeiras
Arquiteto: Pedro Carrilho
Construtor: Econ - Eco Construções Lda
Data do fim de construção: 30/06/2021

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Camara Municipal de Oeiras
Morada: Largo Marques de Pombal
Localidade: Oeiras
Código Postal: 2784-501
Telefone: 214404822
Site: None
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA: A presente intervenção urbana refere-se à reabilitação e ampliação do edifício denominado situado no Centro Histórico de Carnaxide. Inspiradas nos ideais liberais e da fraternidade, as Filarmónicas nasceram para democratizar a instrução e elevar o nível cultural das pessoas. A Banda de Música da S.F.F.C. surgiu nos primeiros meses de vida da Sociedade, sendo seu primeiro regente o "Mestre Leonardo". Em 1895 a Banda era composta por 24 elementos e, durante 24 anos, teve como regente José Maria Pimentel. Em 1919, dirigida pelo Tenente Francisco C. Vila Nova. Foi nesta época que a Banda mais se destacou, realizando concertos que conheceram assinalável êxito, designadamente em Torres Vedras, Figueira da Foz, Montijo, Barreiro, Vila Franca de Xira, Sintra, Lisboa. A partir de 1976 a Banda atravessou longos períodos de inatividade. tomou a direção da Banda José Esteves Serra. Em 1942 e até 1966, a Banda renasce em maio de 1996, com forte entusiasmo dos seus componentes. Foi também criada a Escola de Música, onde já se formaram 12 executantes da Banda. A Escola, tem, neste momento, 17 alunos, com idades compreendidas entre os 7 e o 15 anos . Fundada em1866 a Sociedade filarmónica Fraternidade de Carnaxide tem um marco histórico de grande relevo no concelho de Oeiras. Em 1942 e ate 1966 a banda foi dirigida pelo tenente Francisco c vila nova. A partir de 1976 a banda atravessou longos períodos de inatividade, mas renasceu em maio de 1996. Foi também criado a escola de música. A sede da Sociedade Filarmónica Fraternidade de Carnaxide é um edifício de traça oitocentista (1866), encontrava-se em avançado estado de degradação, foi recuperado e ampliado através de um novo edifício no lote de terreno adjacente. Inicialmente os dois edifícios, compostos por uma fração destinada a serviço, uma loja e duas arrecadações e restaurante encontravam-se devolutos e em mau estado de conservação. Considerando o mau estado de conservação do interior dos edifícios e principalmente a pouca funcionalidade da compartimentação existente, optou-se pela manutenção e reabilitação das fachadas principais e adaptação do interior com nova compartimentação, mantendo a localização da entrada e salão principal. Foi feita a reabilitação do edifício antigo como referência deste género de equipamentos e a sua ampliação a tardoz com ligação ao novo edifício, em lote adjacente, proporcionando novas valências e melhores condições de acessibilidade e conforto. A reabilitação deste conjunto edificado contemplou a criação de um equipamento socio cultural, com salão de espetáculos com palco e zonas técnicas para atores e músicos, museu, salas de aulas de música, cafetaria e dois pátios exteriores multifunções, com áreas generosas e acabamentos nobres. O conjunto é composto por dois edifícios interligados, com elementos arquitetónicos distintos, através de outro edifício novo. Este “U” envolve o pátio interior com acesso através da rua principal. O edifício antigo com fachadas em alvenaria de pedra, cércea de dois pisos e coberturas de três/quatro águas, composto por: Salão nobre – 100 m2; Palco – 34m2; Átrio entrada – 34 m2; Sala de espera/artistas – 21 m2; o edifício novo: Biblioteca – 16m2; Sala Reuniões – 15m2; Sala da Direção – 17m2; Sala grupo desportivo – 25 m2; Cafetaria – 22m2; Secretaria – 16m2; Sala de ensaios – 40m2. No edifício novo estarão os serviços administrativos, a cafetaria, a biblioteca e as instalações sanitárias no piso -1. A cafetaria no piso térreo contempla uma esplanada no pátio. No edifício de “transição” será a entrada principal da construção nova. No piso 0 serão as novas instalações sanitárias que servem a área administrativa, o núcleo de escadas publico e o elevador. No edifício antigo reabilitado, no piso 0, encontram se o átrio de entrada, a sala polivalente, com o respetivo palco e sala de espera ao palco. No piso 1, sobre o átrio de entrada, comunicando com este por umas escadas, estão as instalações sanitárias, não portadores de deficiência motora. No piso térreo do edifício o espaço de cafetaria com zona de esplanada, promove a dinamização do convívio e concertos, a sala de ensaios é devidamente isolada acusticamente. No piso 0, situa-se a sala de espetáculos, o museu, o lounge por trás do palco e a biblioteca que se abrem para o pátio tardoz e ainda as salas de aulas e gabinete técnico O piso 1 serve apenas para vestiários, gabinetes e instalações técnicas. Neste sentido, o programa procura a recuperação do parque edificado, adaptando os edifícios à qualidade e conforto atuais, ao mesmo tempo que promove a revitalização do tecido social destes núcleos antigos. O total dos 2 lotes perfaz 779, 95m2.O edifício tem uma área de implantação de 172,77 m2, com 954

MOTIVO DA CANDIDATURA:

MOTIVO DA CANDIDATURA: A apresentação da presente candidatura tem o intuito de partilhar a experiência da Divisão de Reabilitação Urbana da Câmara Municipal de Oeiras na reabilitação de um conjunto de edifícios no Centro Histórico de Carnaxide destinado a equipamentos, representando os esforços para respeitar e valorizar as suas características mais distintas, como a fachada principal, a volumetria, a sua configuração interior com as proporções interiores. Desta forma, esta intervenção, promove não só a recuperação do parque edificado degradado e devoluto, mas também a revitalização do tecido social, reabilitando e reintegrando este conjunto urbano na vida ativa do Centro Histórico e Área de Reabilitação Urbana de Carnaxide. A Camara municipal de Oeiras recuperou e ampliou o edifício da Sociedade filarmónica de Carnaxide, pelo valor que quase um milhão de euros, dando cumprimento a estratégia de dar nova vida aos centros históricos do concelho. No que diz respeito ao objetivo, valências e mais-valias nesta obra, as Filarmónicas nasceram para democratizar a instrução e elevar o nível cultural das pessoas, inspiradas nos ideais liberais e da fraternidade.