Habitação Jovem – Quarteirão do Largo da Boavista no Centro Histórico de Oeiras

Residencial

DESIGNAÇÃO DA INTERVENÇÃO URBANA:
Nome: Habitação Jovem – Quarteirão do Largo da Boavista no Centro Histórico de Oeiras
Localização: Oeiras
Promotor/dono de obra: Câmara Municipal de Oeiras
Arquiteto: Ana Rocha e Vítor Soares
Construtor: NOWXXI - Engenharia e Construções, Lda
Data do fim de construção: 20/07/2021

ENTIDADE QUE APRESENTA A CANDIDATURA: Empresa: Câmara Municipal de Oeiras
Morada: Largo Marquês de Pombal
Localidade: Oeiras
Código Postal: 2784-501
Telefone: 214404822
Site: https://www.oeiras.pt/
APRESENTAÇÃO BREVE DA INTERVENÇÃO URBANA:

A presente intervenção urbana refere-se à reabilitação do conjunto edificado denominado Quarteirão do Largo Boavista situado no Centro Histórico de Oeiras e Área de Reabilitação Urbana de Oeiras. O conjunto é composto por quatro edifícios, o nº 9 do Largo da Boavista, o nº 21 da Rua Marquês de Pombal, o número 62 da Rua José Diogo da Silva e o nº 31 da Rua Heliodoro Salgado que envolvem um pátio interior, o nº 33 da Rua José Diogo da Silva. Os edifícios, que apresentam características semelhantes, fachadas em alvenaria de pedra, cércea de dois pisos e coberturas de três/quatro águas, encontravam-se muito degradados e totalmente devolutos pelo que foram adquiridos pelo Municípios de Oeiras em 2006 e inseridos no Programa Habitação Jovem, que visa a recuperação de edifícios para o arrendamento de fogos para a população jovem do concelho. Considerando o mau estado de conservação do interior dos edifícios e principalmente a pouca funcionalidade da compartimentação existente, optou-se pela manutenção e reabilitação das fachadas principais e adaptação do interior com nova compartimentação, com fogos de tipologia T0 a T2. Na sequência do Estudo Geotécnico realizado e tendo em conta o desnível existente (cerca de 3 m) entre o pátio e a Rua José Diogo da Silva, considerou-se vantajosa a criação de mais um piso no nº 2, sendo semienterrado, mantendo a cércea existente mas alterando a cobertura de apenas 1 água, para uma de três águas em conformidade com os restantes edifícios. Dessa forma, manteve-se a área de implantação existente de 410 m2 e 156 m2 de logradouro, ampliando-se a área bruta de construção para 850 m2 (mais 160 m2), permitindo a criação de mais nove frações habitacionais, mais duas que as existentes, mantendo-se o espaço comercial no piso térreo do nº 9 do Largo da Boavista. De forma a maximizar a compartimentação dos fogos, optou-se pela eliminação da maioria das escadas interiores, reorganizando os acessos a cada fogo utilizando o pátio, nomeadamente para os pisos superiores do nº 31 da Rua Heliodoro Salgado, do nº 62 da Rua José Diogo da Silva e do nº 21 da Rua Marquês de Pombal. Na seleção de materiais para esta intervenção houve a preocupação de normalização e de facilidade de instalação/manutenção, devido à utilização para arrendamento. O Logradouro foi dividido em dois espaços, um privativo do espaço comercial para uso de esplanada e outro de uso comum para acesso a quatro habitações. Situado na entrada Sul da Vila de Oeiras, a recuperação deste conjunto edificado representou uma grande mais valia para a Reabilitação deste núcleo, tendo-se aplicado um plano de cor cuidado e harmonioso, permitindo que, em conjunto com outros quatro edifícios já reabilitados no âmbito do Programa Habitação Jovem num total de 31 fogos atribuídos, contribuam também para a Revitalização deste Centro Histórico.

MOTIVO DA CANDIDATURA:

A apresentação da presente candidatura tem o intuito de partilhar a experiência da Divisão de Reabilitação Urbana da Câmara Municipal de Oeiras na reabilitação de mais um conjunto edificado no Centro Histórico de Oeiras destinado a arrendamento de habitação para jovens, representando os esforços para respeitar e valorizar as suas características mais distintas, como as fachadas principais, a volumetria, a sua configuração em volta ao pátio interior e a manutenção dos elementos em pedra, mantendo a harmonia do quarteirão como conjunto de quatro edifícios distintos. Desta forma, esta intervenção no âmbito do Programa Habitação Jovem nos Núcleos de Formação Histórica do Concelho de Oeiras, promove não só a recuperação do parque edificado degradado e devoluto mas também a revitalização do tecido social, reabilitando e reintegrando este conjunto urbano na vida ativa do Centro Histórico e Área de Reabilitação Urbana de Oeiras.