Nome: In Pátio

Localização: Pátio de São Salvador, 20 e 22, Porto

Promotor / Dono de Obra: In Pátio Lda

Arquiteto: Floret Arquitectura

Construtor: Sinicel, Lda

Data do fim de construção:

Apresentação Breve da Intervenção Urbana: O projecto que aqui se apresenta trata-se de um futuro alojamento local em pleno Centro Histórico do Porto, no Pátio de São Salvador, um dos últimos vestígios visíveis da Rua do Congostas desaparecida em finais do século XIX.

O edifício é denominado parcela 35 do Documento Estratégico Feitoria Inglesa –Quarteirão 13010 –Aprovado pela Porto Vivo –Sociedade de Reabilitação Urbana da Baixa Portuense. O edifício estava totalmente devoluto e encontrava-se em estado avançado de degradação, podendo se verificar no seu interior o estado de ruína. O edifício tem uma única frente e tem uma área de implantação aproximada de 70,0 m2 e é composto por cave, rés-do-chão e 2 pisos. T

rata-se por isso de um lote com dimensões reduzidas. O projecto proposto divide-se em cinco quartos, suite, equipados com uma instalação sanitária e um hall de entrada. Cada piso possui dois quartos, sendo que no piso do rés-do-chão possui só um quarto devido a existência da recepção neste mesmo piso. O piso da cave alberga as funções de zona de estar e pequenos almoços. O sistema construtivo do edifício em causa é composto e foi mantido por paredes de alvenaria de pedra (granito). Relativamente às lajes de piso, uma vez que já não existiam, dado o estado de degradação do edifício, foi construída por uma estrutura mista constituída por uma estrutura metálica e lajes colaborantes.

Motivo da Candidatura: Consideramos este projecto que agora apresentamos à apreciação do júri do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana um exemplar de reabilitação para fins turísticos relevante no contexto em que operação decorreu.

O Pátio de São Salvador, não obstante se situar próximo da Ribeira e do Palácio da Bolsa e das suas características morfológicas e históricas que fariam deste espaço um lugar de particular interesse para actividades turísticas, permanecia até esta intervenção fora do circuito turístico e comercial da cidade. O motivo era simples: o elevado grau de degradação do edificado. Do próprio edifício, entretanto reabilitado, apenas restava uma parede, o alçado principal.

A intervenção, contida dentro de um lote de escassas dimensões, permitiu a instalação de um serviço de alojamento turístico de qualidade, o qual, por si só, terá contribuído decisivamente para a inversão da dinâmica do espaço envolvente, estando já previstas outras operações de reabilitação patrocinadas por privados nos lotes adjacentes.

Poster: