Nome: Edifício D. Carlos I

Localização: Av. D. Carlos I nº103 e 105, tornejando para a Rua dos Industriais, Santos-o-velho, 1200-648 Lisboa

Promotor / Dono de Obra: RIBABEST - Gestão e Investimento Imobiliário, Lda

Arquiteto: Diogo de Lima Mayer

Construtor: Encomota - Empresa de construção e obras públicas, Lda.

Financiamento: Millennium BCP

Data do fim de construção: 19/04/2012

Apresentação Breve da Intervenção Urbana O prédio é composto por 4 pisos acima do solo para habitação, cave com 17 estacionamento e 6 arrecadações, e logradouro a tardoz pertencente às fracções do Rc. Apresenta uma área bruta privativa total que ronda os 1.600m2, com apartamentos entre 175m2 e 460m2, e tipologias entre os T2 e T4+2. Está inserido num lote com uma área de cerca 836m2, tendo uma implantação de 443m2.

Tratando-se de uma referência histórica do final do séc. XIX com características construtivas e decorativas únicas, o imóvel original carecia de uma intervenção urgente por se encontrar em mau estado de conservação e abandonado, desfigurando não apenas a Av. D Carlos I e a Rua dos Industriais, como a importante envolvente do Palácio de São Bento, devido ao enorme impacto e exposição pela sua situação de gaveto.

Desta forma, o projecto da autoria do Arq. Diogo de Lima Mayer do atelier Intergaup, veio prever a recuperação e reconversão da antiga moradia uni-familiar, num edifício de 6 apartamentos modernos, de elevada qualidade, conforto e concepção funcional, mantendo a traça histórica do edifício. Teve como principais objectivos a ampliação de um piso com a mesma linguagem do existente, a recuperação de todo o átrio e núcleo de escadas originais com recurso a técnicas de restauro, a extensão da escada para permitir o acesso aos outros pisos, a introdução de um elevador, a ampliação da cave para possibilitar o estacionamentos.

A preocupação de manter intactas as fachadas, o átrio de entrada e a escadaria, e por outro lado conferir à estrutura a capacidade de ser anti-sismica, resistência para suportar a ampliação do novo piso, e converter a cave em garagem, foram condições essenciais no projecto, pelo que a solução estrutural foi cuidadosamente desenvolvida pelo Gabinete A2P liderado pelo Eng. João Appleton, especialista neste tipo de estruturas antigas.

Motivo da Candidatura Como representante da RIBABEST venho apresentar a candidatura do projecto de recuperação e ampliação do Edifício D. Carlos I, ao prémio Nacional de Reabilitação Urbana.

Pessoalmente foi uma honra poder participar numa obra tão emblemática e pluridisciplinar.

Foi sem dúvida uma obra que nos deu muito trabalho, pela complexidade da intervenção, pelo cuidado com o pormenor e o detalhe, e que na nossa opinião, resultou num edifício exemplar, que contribui para a recuperação do património arquitectónico da Cidade, não só pela valorização do imóvel, como também do local onde se encontra, pela proximidade com polos importantes, nomeadamente o Palácio de São Bento, que é um dos principais pontos de atracção turística da cidade e de visitas oficiais de elementos estrangeiros, e também a Faculdade de Economia ISEG, visto estar situada num dos seus principais acessos.

Gostaria de salientar a enorme vontade e coragem do Sr. Eng. João Talone, Dono de Obra, em querer preservar referências históricas do nosso património, enfrentando um complicado e moroso processo de aprovação, que põe em risco a viabilidade de qualquer investimento, e num panorama economicamente desfavorável. O objectivo de recuperar e construir com qualidade esteve sempre presente, procurando constantemente soluções que apresentassem melhores garantias de um trabalho bem executado, de forma a ser cumprida a qualidade exigida.

Pela beleza do imóvel e da qualidade do resultado final, é de facto um orgulho saber que contribuímos para melhorar a imagem do espaço público, pela forma como o edifício caracteriza e compõe a Av. D. Carlos I.

Poster: