Nome: Ala Nascente Terreiro do Paço

Localização: Praça do Comércio - Lisboa

Promotor / Dono de Obra: Associação Turismo de Lisboa

Arquiteto: Tiago Silva Dias

Construtor: HCI

Data do fim de construção: 12/06/2012

Apresentação Breve da Intervenção Urbana: A vocação turística da cidade de Lisboa justifica-se nos cerca de 3 milhões de visitantes que aí se deslocam anualmente.

O Terreiro do Paço é, neste prisma, um dos seus maiores símbolos, sendo certo que o seu potencial turístico encontra-se ainda por explorar na sua plenitude. Consciente deste aspecto, a Associação Turismo de Lisboa, no seu Plano Estratégico para 2011 a 2014 destina um papel nuclear para esta praça como um dos elementos centrais para o desenvolvimento da actividade turística nos próximos anos, tendo concebido um programa de intervenção no edificado, que permita uma maior fixação de público nesta área de entrada e de usufruto da cidade.

A preocupação do Turismo de Lisboa foi libertar parte dos edifícios localizados na praça para usos consentâneos com actividades de lazer, procedendo à sua recuperação, numa lógica de manutenção e potenciação dos seus traços arquitectónicos e das suas características originais.

No primeiro semestre de 2012, teve lugar a execução do projecto de recuperação dos pisos térreos da Ala Nascente do Terreiro do Paço e instalação de uma série de equipamentos dedicados ao usufruto do lugar.

Complementado a oferta já disponível na Ala Poente – Pátio da Galé –, os novos espaços da Ala Nascente vêm proporcionar e enriquecer as experiências que aqui podem ser vividas por turistas e visitantes de Lisboa.

Os espaços de restauração criados com a remodelação da ala Nascente são os seguintes:

• Restaurante Museu da Cerveja

• Restaurante Nosolo Italia Praça do Comércio,

• Restaurante/Café Can the Can

• Café-restaurante Populi,

• Food Court Ministerium, com programação musical e artística

• Bar/Clube Lust Lisboa

Destaque especial ainda para o Torreão Nascente, espaço singular que se destina a acolher eventos institucionais e privados, e o Lisboa Story Centre, um centro de interpretação dedicado à história de Lisboa. Curiosidade ainda para a instalação da Renova, apelidada de “Sexiest WC on Earth”.

Motivo da Candidatura: Em nosso entender, o projecto de renovação dos pisos térreos da Ala Nascente do Terreiro do Paço em Lisboa, integrado num plano de recuperação dessa praça, motiva uma candidatura ao Prémio Nacional de reabilitação Urbana pelas seguintes razões:

- Trata-se de um projecto de dimensão que visa recuperar para a actividade turística e de lazer a maior praça da cidade de Lisboa, devolvendo-lhe as suas características de espaço nobre e emblemático da cidade.

- Pela alteração de usos que propicia é um projecto que transforma espaços anteriormente dedicados a usos privados (Ministério das Finanças), em equipamentos que são necessários ao desenvolvimento da vocação turística da Baixa de Lisboa e para usufruto alargado, como sejam um novo centro interpretativo da história de Lisboa

– o Lisboa Story Centre, um espaço para recepções e eventos situado no Torreão Nascente, dois restaurantes, dois cafés/restaurantes, um bar/clube, um food court, com espaço para actividades de animação e espectáculos, e uma instalação sanitária com características originais – “The sexiest WC on Earth” . Trata-se pois de uma intervenção que devolve a utilização pública de um espaço, que pelas suas características, a isso deve ser destinado.

- As actividades existentes anteriormente à intervenção aí se mantiveram (o Ministério das F Finanças continua a utilizar os pisos superiores, e a agência bancária manteve-se no local)

- A intervenção realizada preconiza a recuperação dos espaços segundo os princípios de devolução das suas características arquitectónicas originais, removendo intervenções anteriores que, quase sempre, as desvirtuaram. Do mesmo modo, houve a preocupação de, com as novas utilizações, não criar soluções definitivas. Isto é, em caso de nova alteração de usos que venha a ser efectuada, as adaptações espaciais necessárias à actual utilização são reversíveis, não havendo pois impactes indesejados nas características originais do edificado. .

 

Poster: